Consórcio com empresa paraense vence licitação internacional

 

O consórcio Educatech, formado pela empresa paraense MDI (Mundo Digital Interativo) junto com a editora paulista Letra e Ponto, venceu a licitação do projeto Rio de Excelência, que é uma parceria entre o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) e a prefeitura do Rio de Janeiro. Agora, eles irão desenvolver uma plataforma educacional destinada aos professores da rede da Secretaria Municipal de Educação da capital carioca.

A seleção

A parceria entre as duas empresas aconteceu da melhor forma possível, enquanto o MDI entrou com a tecnologia, a editora colaborou com o conteúdo. O processo seletivo contou com trinta empresas e foi dividido em duas fases. Na primeira, foi analisado o histórico das companhias e o trabalho já desenvolvidos por elas. Para a segunda etapa passaram apenas seis concorrentes, sendo uma da América do Norte, uma da Europa, uma de Minas Gerais, duas do Rio de Janeiro e o Consórcio Educatech.

A segunda fase consistiu em escrever um projeto detalhado das ideias do produto. Este seguiu o padrão de seleção usado pelo Banco Mundial em todos os países. Os documentos tinham que obedecer rígidas normas técnicas do PMI (Project Management Institute) e do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers). O nível de detalhamento exigido de cada uma das etapas, bem como das tecnologias usadas, foi muito alto. No entanto, em maio deste ano saiu o resultado e a Educatech foi a vencedora e no período de doze meses desenvolverá o trabalho.

“Foi diagnosticada pelo Banco Mundial a necessidade de investimentos em uma plataforma EAD que usasse o que há de mais sofisticado em tecnologia, para atender os professores da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, nas áreas de gestão escolar, gestão acadêmica, ensino de matemática, ensino de língua portuguesa e educação especial. Dentre as tecnologias colocadas como necessárias para a plataforma e para os cursos estavam o uso da tendência mais forte verificada atualmente no mercado mundial, ou seja, a aplicação intensa de simuladores e de jogos de computador”, afirma Manoel Sena, um dos sócios do MDI.


Empresa de chocolate será parceira da ed.ufpa na Feira do Livro

Editora da UFPA e a Nayah Sabores da Amazônia serão parceiras pela primeira vez na Feira Pan-Amazônica do Livro. Por ocasião dos lançamentos e sessões de autógrafos com os autores, o público degustará diversos tipos e sabores de chocolates, além do Chácolate, um chá feito da casca do cacau. As sessões com degustação vão acontecer no Espaço UFPA 60 anos, o estande da ed.ufpa na XXI Feira Pan-Amazônica do Livro, nos dias 28 e 31 de maio e nos dias 2 e 3 de junho.

Os chocolates degustados são artesanais e produzidos com a semente do cacau e do cupuaçu. As matérias-primas utilizadas na produção são regionais, provenientes de Medicilândia, Tucumã, Tomé-Açu, Barcarena e da Ilha do Combu, e contribuem com o desenvolvimento sustentável da região.


Notícias da Anprotec – Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores

 

Comissão debaterá ações para o desenvolvimento do setor tecnológico

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, da Câmara dos Deputados, tem audiência pública, nesta quarta-feira (24), para debater as ações para o desenvolvimento do setor tecnológico brasileiro. O objetivo é discutir especialmente as ações referentes à indústria brasileira de software e serviços de tecnologia da informação.

O debate terá a presença do presidente da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), gestora do Programa para Promoção da Excelência do Software Brasileiro, “considerado prioritário pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações”.  O deputado Paulo Magalhães ressalta que essa entidade “trabalha de forma articulada com a iniciativa privada, junto a mais de seis mil empresas em todo o Brasil e com vários governos estaduais e municipais, centros acadêmicos e instituições de fomento”.

Foram convidados para debater o assunto com os integrantes do colegiado o secretário de Política de Informática do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Maximiliano Salvadori Martinhão; o presidente da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex) , Ruben Delgado; e o presidente da Federação Nacional das Empresas de Informática (Fenainfo), Edgar Christian Tardio Serrano. A audiência ocorrerá no plenário 13, a partir das 11h30.

(Fonte: Agência Câmara)


Organização reúne pesquisa e indústria na busca de economia sustentável para a Amazônia

Promover o uso sustentável da biodiversidade amazônica é o foco da organização social Biotec-Amazônia, criada na última quinta-feira (4), em Belém. O núcleo objetiva difundir o conhecimento e prestar informações e serviços nas áreas de biodiversidade, biotecnologia e bionegócios no estado do Pará, para fins de desenvolvimento econômico e social. O próximo passo do grupo […]


Universitec realizará reunião sobre Empresa Júnior

Atendendo a uma demanda crescente apresentada por diversos cursos, a Agência de Inovação Tecnológica (Universitec) reunirá com alunos da Universidade Federal do Pará (UFPA) interessados em abrir Empresa Júnior, na próxima terça-feira (30) as 11h, no auditório da Agência.

O objetivo da reunião é identificar grupos que estão se organizando para abrir e/ou incentivar alunos a formar equipes em seus cursos para a criação de uma empresa, além de conhecer as dificuldades que esses estudantes estão enfrentando para, assim, definir o papel da Universitec nesse processo.  

Segundo a coordenadora de Empreendedorimso, Leila Furtado, o movimento de criação de Empresas Juniores precisa ser reanimado, pois atualmente encontra-se em baixa. “Alunos de cursos como Engenharia da Computação, Engenharia Mecânica e Informática já passaram por essa experiência empreendedora e agora estudantes de Oceanografia e Engenharia Química, por exemplo, estão se mobilizando para criar suas empresas. Precisamos atuar juntos para reacender essa chama empreendedora muito importante para a formação de nossos alunos”, ressalta.


UFPA Desenvolve Batom com Gordura de Bacuri

 

Os pesquisadores apresentarão o produto em uma feira de cosméticos, em São Paulo

A maioria dos paraenses, em algum momento da vida, já deve ter experimentado comidas relacionadas ao bacuri, fruto típico da região amazônica, seja o creme, sorvete ou até mesmo um bolo. Só que agora, pesquisadores da Universidade Federal do Pará conseguiram desenvolver um novo produto a partir da gordura da fruta, o Batom. O trabalho foi realizado pelo Laboratório de Nanotecnologia Farmacêutica, coordenado pela professora Roseane Maria Ribeiro Costa, e o Laboratório P&D Farmacêutico e Cosmético liderado pelo professor José Otávio Carréra Silva Júnior, ambos docentes da Faculdade de Farmácia da UFPA.

Os dois laboratórios já atuam há bastante tempo com as matérias primas da região amazônica como óleos, gorduras e resíduos que são extraídos de frutas que fazem parte do dia a dia dos consumidores do estado. Além da utilização do bacuri, eles também desenvolvem trabalhos com o cupuaçu, tucumã,  ucúuba, pracaxi, açaí, castanha do Pará, cacau, muru-muru e patauá, tendo linhas de pesquisas relacionadas ao desenvolvimento de medicamentos e cosméticos.

“O nosso objetivo é desenvolver produtos ecologicamente corretos, que atendam as práticas sustentáveis e agregue valor às cadeias produtivas da região. Temos que utilizar as substâncias de forma racional e inteligente para que o produto final seja de qualidade e seguro, que tenha em sua essência a tecnologia verde”, explica a professora Roseane Maria Ribeiro Costa.