Universitec recebe visita técnica de alunos do curso de Biomedicina

Postado em 18 de junho de 2019

A Universitec recebeu, na tarde da última quarta-feira (12), os alunos do curso de Biomedicina para uma visita técnica na sede da Agência. A atividade fez parte da disciplina Desenvolvimento de Imunobiológicos, ministrada pela professora Andréa Rangel, do Laboratório de Virologia da Universidade Federal do Pará. Na oportunidade, os alunos puderam ver de perto o trabalho desenvolvido pela Agência de Inovação Tecnológica da UFPA.

Durante a programação, os alunos assistiram a uma palestra sobre Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia, áreas fundamentais de atuação da Agência. A coordenadora Rosângela Cavaleiro e a assessora Magáli Coelho apresentaram aos alunos os mecanismos de propriedade intelectual, a importância do uso correto de cada um deles tanto no âmbito acadêmico quanto no comercial, com ênfase na área de patentes. Elas explicaram o processo de depósito de pedido de patente desde o início, recomendando pesquisas em bancos de dados de patentes nacionais e internacionais, até a fase de depósito do pedido no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Magáli Coelho explicou que a visita deu aos alunos a dimensão da atuação da Universitec no ecossistema de inovação e de empreendedorismo da Amazônia. A visita também contribuiu para despertar o interesse dos alunos pelas demais áreas de atuação da Agência, como a Coordenadoria de Empreendedorismo. “Programações como essa são interessantes porque mostram aos alunos que a Agência tem atuado para estimulá-los ao melhor aproveitamento da vida acadêmica, permitindo que saiam da Universidade dotados de visão empreendedora”, contou a coordenadora.

Os alunos também conversaram com Ramon Villar, engenheiro eletricista e diretor da Ocalev, startup incubada desde 2015 no Programa de Incubação de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Federal do Pará. Ao buscar democratizar o acesso à engenharia de qualidade no Brasil, a startup paraense inova constantemente na área de instalações elétricas. Dentre as tecnologias desenvolvidas pela startup está o Woca, um aplicativo que permite a elaboração online de projetos elétricos residenciais de modo acessível e apenas em alguns minutos.

Durante o encontro, Ramon Villar afirmou que a Amazônia tem uma biodiversidade rica e que os cursos da área de saúde devem aproveitá-la para gerar descobertas e inovações, sempre com responsabilidade. “Como o profissional de biomedicina tem um perfil bem dividido entre a prática profissional e a atividade laboratorial, destaquei também que o papel deles como cientistas deve ser capaz de impactar positivamente a sociedade, apesar de muitas vezes, ao longo da graduação, a rotina do curso acabar lhes tirando essa perspectiva”, comentou.

Ao final da visita, os alunos conheceram o Sistema Nacional de Gestão do Patrimônio Genético e do Conhecimento Tradicional Associado, plataforma eletrônica de cadastramento obrigatório de todas as pesquisas realizadas com o patrimônio genético brasileiro. O representante da Universidade junto ao SisGen, Alberto Cardoso Arruda, apresentou a plataforma aos alunos e comentou a relevância da lei de acesso à biodiversidade. “São alunos novos, que poderão vir a ser pesquisadores e que precisam estar cientes da importância do sistema para a proteção do conhecimento desenvolvido no país e da exploração da biodiversidade nacional”, pontuou o professor.

Os professores interessados em trazer suas turmas para participar de visitas técnicas na sede da Agência podem contatar a Assessoria de Comunicação por e-mail.


Atualizado em 24/06/2019 às 16h49.

Texto: Orlando Haber (Ascom/Universitec).