Projetos vencedores da 3° edição do StartNOW

Postado em 04 de dezembro de 2018

O StartNOW 2018 promoveu a interação entre participantes de várias áreas do saber. O evento que encerrou no primeiro sábado de dezembro, reuniu seis equipes para a apresentação de seus projetos. Cada uma teve cinco minutos para expor suas ideias, e depois obteve as considerações da banca avaliadora.

Ideias variadas passaram naquela manhã pelo auditório da UEPA, que abriga uma das incubadoras que promove o evento, a RITU. A equipe Reciclar propôs um aplicativo com o intuito de integrar pessoas e empresas interessadas na reutilização e reaproveitamento de resíduos sólidos. Também houve a proposta do aplicativo HI água e gás para auxiliar nas compras dos produtos junto às empresas do ramo em questão. O grupo Forma 8 tem como objetivo atuar no processo de formalização de micros e pequenos empreendimentos. Contudo, os três primeiros colocados foram:

Best Age 1° Lugar. Rede social para a melhor idade, proporciona o contato de idosos com uma variedade de serviços, como por exemplo: empresas de lazer, serviços hospitalares e outros, eles ainda podem realizar compras/vendas e trocas de objetos dentro da rede, além é claro, do contato entre os usuários. Patrick Sandre, integrante da Best Age, destaca a importância do evento para os jovens empreendedores: “O StartNOW é fundamental para os jovens que buscam o desenvolvimento de suas ideias, visando a solução de alguns problemas da nossa sociedade, levando em conta o respeito com o meio ambiente, e que gerem renda e estimulem a economia local”.

Já o 2° Lugar ficou com a equipe Borali. O grupo criou um projeto de guia cultural online, ele funcionará como um aplicativo de rotas e pontos turísticos de Belém. Diferente de outros guias, como o TripAdvisor, o aplicativo foca na experiência do usuário e no fator humano na descrição dos locais, que farão parte de um sistema de ranqueamento baseado nas opiniões dos usuários. Assim, o Borali é mais que um aplicativo de guia, ele constitui uma ferramenta que propõe facilitar uma melhor experiência cultural tanto para turistas quanto para residentes que queiram conhecer melhor a cidade. Paulo Faro, integrante do Borali,  disse que ficou surpreso com o formato do evento: “O StartNOW realmente me surpreendeu. Quando me inscrevi esperava um evento com palestras e bate-papos sobre empreendedorismo e faculdade, mas foi muito melhor. Sim, houve palestras, mas o desafio e as mentorias deram mais aquele gostinho do mundo de startups e inovação”.

A 3° equipe escolhida desenvolveu um projeto com foco na produção de biojoias, as peças serão produzidas com “resina poliéster cristal”.  A ideia das biojoias é carregar uma “parte” da Amazônia em sua composição, tanto de forma física quanto informativa. As peças serão compostas a partir de insumos naturais (principalmente os que são descartados) como caroços de açaí, pupunha, restos de fibras naturais e madeira. Bruno Navegantes, um dos membros da equipe, afirma que o evento foi como uma introdução ao que ele irá percorrer após sua graduação: “Tudo o que pude aprender e presenciar durante o StartNOW vai ser levado e posto em prática num futuro bem próximo,  o que é muito importante para minha inserção no mercado de trabalho”.

A coordenadora do PIEBT (incubadora da UFPA e também promotora do StartNOW), Iara Neves, resumiu a 3° edição como “ Um momento de compartilhamento de experiências  sobre o mundo do empreendedorismo. Um evento como este possibilita aos jovens um contato direto com os desafios de inovar, e esperamos que agregue muito para o desenvolvimento profissional deles”.

 

Texto: Ascom Universitec