Estudantes paraenses participam de feira na USP

Postado em 16 de março de 2018

O Estado do Pará está presente na 16ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) sediada na Escola Politécnica  da Universidade de São Paulo (USP), organizadora do evento. Estudantes e professores apresentam quatro projetos de escolas pública e particular, sendo dois projetos de Moju, um de Abaetetuba e um de Igarapé-Miri. A Feira começou no dia 12 e terminará nesta sexta-feira, dia 16.

 

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e secretarias municipais de Educação de Abaetetuba, Moju e Igarapé-Miri apoiam a participação dos docentes e estudantes no evento que reúne 346  projetos elaborados por alunos  dos ensinos Fundamental, Médio e Técnico de escolas públicas e particulares do Brasil.

 

A estudante Francielly Rodrigues Barbosa, a orientadora Danielle Siqueira Pereira e a co-orientadora Irlene Aracati Marques apresentam na feira o projeto “Utilização de lixo na fundação de casas na Amazônia: problema ou solução?”. A equipe representa a Escola Estadual Professora Ernestina Pereira Maia, do município de Moju.

 

Outro projeto de Moju na Febrace é o “Estudo da aplicabilidade do caroço do açaí como massa modelável”, para confecção de objetos, como tábuas de MDF e peças de máquina, entre outros. O projeto é apresentado pelo estudante Washington  Ferreira Nascimento Filho junto com o orientador Gilberto Luís Sousa da Silva, do Sistema de Ensino Inove, de Abaetetuba. Washington Nascimento estudou na Escola Municipal Jandira Henderson e Silva, em Moju. Ele ganhou como prêmio por seu projeto uma bolsa no Sistema Inove.

 

A Escola Estadual Manoel Antônio de Castro (MAC)/Sistema de Organização Modular de Ensino (Some Seduc), do município de Igarapé-Miri, participa da Febrace com o projeto “Trilha Ecológica: uma ferramenta para o ensino de Botânica”. O projeto reúne os estudantes Fernando Farias Pinheiro e Gizandra Conceição Farias e a orientadora Alcione Rodrigues.

 

O projeto de Abaetetuba é “A importância das técnicas de propagação vegetativa na agricultura familiar”, a cargo de Dirlen Ribeiro Pantoja (aluna da Escola Estadual do Campo Professora Benedita Lima  Araújo), Rivaldo Ribeiro Pantoja e Dielly Ribeiro Pantoja (orientador). Os pesquisadores atuam no Clube de Ciências de Abaetetuba/Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Educação Matemática e Científica (Ccia/Cpadc).

 

Via: Portal Seduc