Estudante da UFPA vai representar o Brasil em competição global de empreendedorismo

Postado em 29 de outubro de 2019

A seletiva nacional do Global Student Entrepreneur Awards (GSEA), principal competição global de empreendedorismo para estudantes de graduação ou pós graduação, foi realizada no último sábado, 26, no Rio de Janeiro. Organizado pela Entrepreneur’s Organization (EO), o evento contou com a participação de quatro finalistas escolhidos nas seletivas de São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro e Porto Alegre. O vencedor foi o estudante paraense Noel Orlet, selecionado na etapa da capital paulista.

Noel Orlet é sócio-fundador do Amana Katu (chuva boa, em tupi-guarani), iniciativa criada para universalizar o acesso à água potável na Amazônia por meio de uma tecnologia de captação de água da chuva sustentável e de baixo custo. Estudante de Direito, ele decidiu empreender quando percebeu, ao estagiar no Ministério Público, que os meios jurídicos não são capaezes de garantir direitos humanos básicos, dentre eles o acesso à água de qualidade. “Na Amazônia, onde existe a maior concentração de água doce do planeta, mais de 10 milhões de pessoas ainda não têm acesso à água potável”, afirma ele, que, junto à equipe do projeto, criou uma bombona plástica a baixo custo capaz de filtrar a água da chuva e torná-la potável. Até agora, o Amana Katu já impactou quase 7.000 pessoas que deixaram de sofrer males como diarreia, esquistossomose e cólera.

A intenção de Noel Orlet é implantar a solução em todas as escolas, hospitais e comunidades da região Norte, o que também ajudará a gerar empregos para jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Ele também preside o time Enactus UFPA que, por sua vez, desenvolve outros projetos de empreendedorismo social na Amazônia.

Com a vitória na seletiva nacional, Noel Orlet representará o Brasil na etapa global da EO, programada para o primeiro semestre de 2020, na Cidade do Cabo, capital legislativa da África do Sul. Na ocasião, os campeões de mais de 50 países estarão reunidos com o objetivo de apresentar suas ideias para uma banca de jurados e concorrer às premiações finais de 25 mil dólares ao primeiro lugar, 10 mil ao segundo e 5 mil ao terceiro, além de outros serviços.

O Amana Katu – Desenvolvido durante o Desafio Inove+ 2017, promovido pela Agência de Inovação Tecnológica da UFPA (Universitec), o projeto tem como principal objetivo democratizar o acesso à água para populações em situação de vulnerabilidade socioeconômica. No decorrer da competição, os membros desenvolveram um sistema de captação de água da chuva compacto, sustentável e de baixo custo, chegando a custar 52% mais barato do que aqueles oferecidos pelos concorrentes. Além disso, a cada cinco sistemas vendidos, um é doado para uma família de baixa renda que não tem acesso à água de qualidade.

Premiado nacional e internacionalmente, o Amana Katu foi campeão, em 2018, da World Water Race, competição global que premia as melhores iniciativas na temática da água e do saneamento básico, e vice-campeão em 2019.

O time Enactus UFPA – Fundado em 2014 com o apoio da Universitec, tem como missão desenvolver líderes que, por meio da ação empreendedora, sejam capazes de empoderar pessoas para transformar comunidades, melhorando a qualidade de vida e o bem-estar social.

Em julho de 2019, em São Paulo, após disputar com 47 times de Universidades brasileiras, o time Enactus UFPA foi campeão do Evento Nacional Enactus Brasil (ENEB) e, por conseguinte, tornou-se o representante do país na Enactus World Cup, que ocorreu em setembro, no Vale do Silício, centro global de inovação, nos Estados Unidos.

O GSEA – A seletiva nacional do Global Student Entrepreneur Awards aconteceu durante as atividades do EO LACademy, evento organizado pela EO voltado aos empresários, líderes e políticos mais influentes da América Latina. De acordo com Assur Fernandes II, membro fundador da EO Rio de Janeiro e líder do EO LACademy, hoje o GSEA é a principal competição global para estudantes de graduação ou pós graduação e que, ao mesmo tempo, lideram um negócio com pelo menos seis meses consecutivos de operação.

Realizada pela entidade desde 2006, a iniciativa tem como premissa estimular o espírito empreendedor nos jovens e fazer com que os seus negócios atinjam a maturidade de uma forma mais ágil. “Queremos cultivar a futura geração de empreendedores, agregando valor também ao ecossistema empresarial”, afirma Assur Fernandes II.


Atualizado em 29/10/2019 às 17h22.

Texto: Ascom/Universitec com informações do Diário Online e da Folha de S. Paulo.

Foto n.º 1: Divulgação.

Foto n.º 2: Mariana Vieira/Enactus UFPA.