Assinados os primeiros contratos da Incubadora do Xingu, em Altamira

Atualizado em: 06/08/2020 às 13:51
Tempo de leitura: 2 minutos

Nas últimas semanas, foram assinados os primeiros contratos de incubação dos empreendimentos selecionados na chamada pública da Incubadora do Xingu. Após a apresentação da documentação exigida pelo edital, os proponentes classificados foram habilitados para a contratação. A partir de agora, os empreendimentos Xingu Recycling, Florada do Xingu e Pomar do Xingu receberão apoio gerencial e tecnológico para o desenvolvimento dos seus negócios.

No intuito de fomentar o ecossistema de Empreendedorismo e de Inovação no Xingu, a Universidade Federal do Pará coordena o projeto de implantação da primeira incubadora da região da Transamazônica. Instalada no campus da UFPA em Altamira, a Incubadora visa desenvolver ações voltadas à criação, aceleração e consolidação de empreendimentos voltados à produção de bens e serviços inovadores, abrindo para a região novas perspectivas de desenvolvimento e de atração de investimentos.

“A Incubadora do Xingu, além proporcionar apoio gerencial e tecnológico, ferramenta importante para a prospecção de negócios, irá contribuir para o desenvolvimento do Empreendedorismo, a partir da dinamização do ambiente de inovação na região”, comenta a coordenadora da Incubadora, professora Silvia Maia.

A iniciativa conta com o apoio do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX), por meio do projeto de n.º 279/2017 (Ambiente de Inovação no Xingu), da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (SECTET), da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (SEDAP) e do Fundo de Desenvolvimento da Cacauicultura do Pará (FUNCACAU).

Apesar da pandemia da Covid-19, sendo o Pará um dos estados brasileiros com mais números de casos confirmados da doença, a Incubadora do Xingu segue atuando remotamente no sentido de construir um ecossistema de Empreendedorismo e de Inovação sustentáveis na região.

Inscrições abertas

O coordenador do projeto, professor José Augusto Lacerda, destaca que as vagas disponibilizadas pelo segundo edital representam uma oportunidade ímpar para acadêmicos e empreendedores da região. “O impacto do processo de incubação na capacidade de inovação dos empreendimentos é nítido e comprovado por inúmeras pesquisas, no Brasil e no mundo. E temos certeza que no Xingu não será diferente”, completa.

A Incubadora do Xingu segue com inscrições abertas para a modalidade de empreendimentos residentes. Para mais informações, clique aqui.